Qual é o real significado do esporte
Hcrkmvd3rtgvlofxsuhc

Não pretendo nesse texto responder essa pergunta. Afinal de contas, há muitos anos tento achar uma resposta, e vejo que são muitas... Para cada pessoa, uma razão, para cada pessoa um sentido de praticar esporte.

Vamos lá!! Poderíamos começar esse debate mental, pensando na etimologia da palavra esporte, ou pensar em discutir sobre como e onde surgiu o esporte, ou tentar concluir o que de fato significa e como classificamos uma atividade física como esporte... A única informação precisa que teríamos dessas sugestões de debates, seria a etimologia da palavra! Nem a origem do esporte é algo preciso e claro. Assim, para quem busca respostas objetivas, esse texto será, a partir de agora, uma caminhada no parque, sem pressa e destino certo... (eu sou uma das pessoas que buscam respostas objetivas!)

Você já percebeu como o esporte é falado, vivido e assistido ao seu redor? Tem a pessoa viciada em contar e se orgulhar dos seus feitos, sejam eles de um passado longínquo, sejam eles da madrugada do mesmo dia que ele está te contando; Tem a pessoa viciada em endorfina e adrenalina, e não perde um treino e uma aventura por nada, mas perde qualquer coisa para viver esse momento; Tem a pessoa que assiste todos os esportes que passam na TV, YouTube ou qualquer site de streaming especializado, mas não pratica nada de atividade física; Tem a pessoa que faz esporte com o mesmo sentimento de obrigação que uma criança escova os dentes todas as noites e bafora seu hálito para o pai e a mãe darem o aval de que sua saúde bucal está em perfeitas condições, e nada de errado acontecerá com seus dentes no futuro...

Particularmente, eu já preenchi todas as opções, em diferentes fases da vida... Hoje, sou a criança baforando o hálito para si mesmo, e fazendo afirmações mentais de que tudo vai bem, e que a principal razão é meu bem-estar orgânico! Bem-estar mental? Sim! Tenho, também, muito! Mas já representou mais, quando eu era a pessoa que me gabava de cada treino. Amanhã, voltarei a ser essa pessoa, de bengala, e contarei meus épicos treinos, feitos com equipamentos e estudos muito mais simples dos que existirão, esperando que pensem: Caralho! Esse era guerreiro... Treinar naquelas condições!? PQP! Não é para qualquer um! (Mas nós sabemos, né?! Não pensarão isso. O pensamento será: cara, tu sabia [sic] que aquele velhinho já fez esporte como a gente? Foda, né?! Ahã!! Si nis tro!)

Só de refletir sobre isso, dá vontade de contar várias situações, onde cada amigo tinha sua razão para estar treinando daquela forma, naquele momento... Foram as mais variadas!

Mas o que me leva a refletir sobre o sentido do esporte para a vida vai além, e se apoia em algo muito mais visceral: A razão de ser e estar a partir da prática esportiva... Não pensava assim até ter contato com paratletas, e ouvir seus relatos, ver seus resultados, e sentir a pele arrepiar vendo suas conquistas em condições tão adversas... Tenho o prazer de conviver frequentemente com alguns! Podemos falar também de atletas de origem humilde que tentam se destacar no esporte para fugir das mazelas dos mundos sombrios que habitam quando não estão treinando ou competindo...

E quando o atleta é os dois? Vem de origem humilde e é paratleta? Caaara, essa pessoa começa a se desafiar quando acorda e precisa sair da cama, quando sai de casa e precisa pegar o ônibus, quando sai da zona de conforto e precisa encarar de frente todas suas limitações para superar seus resultados anteriores e continuar se provando para si, e para os outros!

Você já se perguntou porque o Brasil tem resultados piores nas olímpiadas do que na paralímpiadas, considerando cada um dos contextos? Então! Não faz sentido pensar que a importância e significância do esporte para um paratleta é muito maior do que para um atleta convencional? Não tenho essa opinião como concluída, mas cheguei nela depois de ouvir sempre a mesma resposta dos paratletas: “Faço isso, porque é minha razão de viver!”, “Se não fosse o esporte, me sentiria inútil.”, “o esporte faz eu mostrar para as pessoas que eu não sou inválido!”, “o esporte me mostra que, apesar da minha deficiência, eu sou capaz de me superar todo o dia...”, “posso deixar meu nome na história, mesmo com as limitações que tenho.”

No texto anterior, afirmei que o esporte tem a capacidade de desenvolver um bom caráter. Neste, afirmo que o esporte, para muitas pessoas, tem um sentindo transcendental, e uma significância ímpar para a razão de ser.

Você já pensou nisso: Qual o sentido que o esporte tem para você? Seja qual for, espero que seja positivo, te faça feliz, e te inspire e ser cada dia mais presente em ações que impactem o mundo positivamente!

Dedico esse texto a todos os paratletas que tenho o prazer de conhecer e conviver e, especialmente a Susana Schnarndorf!


Para quem quiser me acompanhar nas redes sociais:

Instagram: @andreseccorichter
FB: André Secco Richter
Linkedin: André Secco Richter
Octanage Podcast: https://goo.gl/t7aFof

Valeu! Abraço!